O Amor Evolucionário

Assim que descobrimos que a mais profunda dimensão do nosso ser não é a nossa identidade psicológica herdada ao longo da história mas sim o mistério da vida ou da consciência na sua essência, então a nossa relação com aquilo que significa ser humano pode potencialmente passar por uma mudança radical.

Em vez de ser conduzido através da vida principalmente pelos medos, desejos e sofrimento psicológico de um ego separatista, descobrimos a fonte da motivação para ser quem somos neste mundo que é absolutamente positivo, que flui em movimento ascendente e em direcção ao exterior como se transborda-se de um copo para fora. Esta consciência pura e inteligente da vida é experienciada com um “Grande Sim” que nos chama para a tarefa de transformação e de criação de um novo despertar cultural.

O Grande Sim pode ser compreendido como a experiência humana do impulso evolucionário que anima e conduz todo o Universo. É a misteriosa faísca divina que fez com que algo saísse do nada. É o Amor que surge na manifestação, como a magnifica interligação da criação em todo o momento. Quando experienciamos este amor começamos a ver e sentir que somos parte de um vasto processo que está em movimento e com uma direcção. Reconhecemos que o desejo para nos transformarmos, às nossas relações e ao nosso mundo é um movimento de amor evolutivo procurando ordens superiores de harmonia e integração.

Se abraçarmos este contexto evolutivo para a vida humana, começamos a ver e a sentir que o desenvolvimento futuro deste processo cósmico literalmente depende de nós. Em termos teológicos realizamos que o Deus Criador não é uma deidade metafísica externa que toma conta de nós, mas está inerente em nós como pura paixão evolutiva. Esta compreensão é verdadeiramente contemporânea unindo as mais profundas realizações espirituais e científicas, vai de encontro aos desafios dos nossos tempos e preenche-nos com um enorme sentido de responsabilidade pela evolução da vida em si. É este envolvimento integral na espiritualidade evolutiva que tem o poder de transformar completamente as nossas relações na experiência humana do século 21.

Nesse envolvimento reconhecemos que a nossa capacidade humana para a escolha, para a investigação, para a sabedoria intuitiva, para a compaixão, são certamente os nossos talentos e qualidades positivas, reflectidas pela cabeça, coração e mãos, e nos são dados para que conscientemente nos comprometamos neste miraculoso processo criativo que nos deu forma. Então o presente da nossa individualidade é reconfigurado para reflectir o seu verdadeiro potencial como a única forma de expressão do “indivisível”.

Nesta orientação para a espiritualidade a noção de “a minha” viagem espiritual é radicalmente recontextualizada pelo esmagador apelo à obrigação moral, que é experienciado ao mesmo tempo que um impulso surge de dentro para fora e das profundezas do cosmos. O amor evolutivo chama-nos para a realização que somos seres sociais cuja existência não poderá ser separada da existência dos outros e de todo o universo. Coexistimos, não como indivíduos vivendo lado a lado, mas como parte de uma rede de relações da qual nunca estamos separados. É esta rede de relações que nos leva ao despertar da consciência e evolui como a expressão colectiva da “unidade no todo”. Este é o ponto principal da consciência evolutiva no nosso tempo.

Para nos tornarmos na expressão máxima da possibilidade que chama por nós, precisamos estar em relações enraizadas na visão de uma possibilidade mais elevada. No Projecto Vida Desperta criamos fóruns para mulheres e homens dedicados a catalisar e dar suporte a esta urgência, facilitamos o Curso da Consciência Evolutiva em diferentes partes de Portugal, um Retiro de 10 Dias de Espiritualidade Evolucionária.


 

Comment: